comercial@dnageneticadobrasil.com.br Termo em branco(49) 3323-0795

Copérdia avalia trabalho de genotipagem com resultados positivos e mostra evolução considerável das filhas

29 de Outubro de 2018, 16:40

Mga%2001

O programa MGA – Melhoramento Genético Aurora, deu mais um importante passo em sua consolidação na Copérdia. No final do mês de setembro, uma série de reuniões foram realizadas para apresentar aos produtores os resultados de um trabalho de genotipagem que iniciou com vacas em 2015 e agora avaliou o DNA das filhas destes animais e apresentou evoluções significativas.
“Esse é o resultado de um trabalho que iniciamos há algum tempo já. Inicialmente coletamos amostras de animais em produção nas propriedades e mandamos ao laboratório nos EUA para genotipagem. Com esse resultado em mãos, demos sequência para a correção dos defeitos encontrados no rebanho através da introdução de sêmen de touros com alta capacidade de transmissão das suas características seguindo as diretrizes do MGA. Na sequência fizemos a genotipagem das filhas desta vacas e temos a grata satisfação de verificar resultados muito positivos”, explicou Flávio Durante, gerente do Fomento de Leite da Copérdia. Todo esse trabalho é realizado em parceria com a Aurora e DNA genética. Outro ponto que chama a atenção é a redução no índice de doenças genéticas no rebanho das filhas. “Isso representa um rebanho saudável, mais produtivo e consequentemente mais lucrativo ao produtor. Nosso desafio é envolver o maior número de produtores possível neste projeto. É um projeto que é feito com muito investimento por parte da Copérdia para que esta tecnologia alcance a maioria das propriedades fomentadas. O produtor que adquirir o sêmen na Copérdia esta naturalmente participando do projeto MGA de melhoramento genético e consequentemente se beneficiando de um conjunto de tecnologias de ponta”, enfatizou Durante.
Celso Barbiero Alves, responsável pela condução do processo genético do conselho gestor do MGA, destaca três características marcantes dos resultados coletados. “O que mais chama atenção é uma baixa de 10 pontos no índice de doenças genéticas da mãe para a filha. Outro fator é o crescimento rápido da produção de sólidos - o que está diretamente ligado à lucratividade do produtor e da indústria. Da mesma forma, o sistema mamário teve um progresso muito interessante nesta primeira amostra”, conclui Barbiero.
Segundo ele, um grande trabalho ainda vem pela frente para buscar melhoria gradativa e consistente com aumento na produção de sólidos para a indústria. “Buscamos maior capacidade de produção de leite, quantidade de sólidos, vida produtiva saudável, capacidade de prenhes rápida e eficiente. O produtor precisa ter o entendimento de que genética não deve mais ser analisada como era feito no passado. Hoje, a genética tem outro peso dentro da conjuntura da propriedade no caso de produção de leite”, finaliza Celso.

Saiba mais sobre o MGA
Em 2012 a Copérdia começou a construir um projeto de melhoramento genético em parceria com a TAG do Brasil. Em 2013, a Aurora entendeu que deveria envolver neste projeto as demais cooperativas filiadas visando buscar a melhoria genética de todo rebanho leiteiro da agroindústria. O objetivo deste trabalho é auxiliar o produtor a ter mais qualidade em seu rebanho, com animais mais saudáveis, que fiquem na propriedade produzindo leite por mais tempo, menos custo e melhor qualidade.

Fonte: www.coperdia.com.br

Fonte: www.copérdia.com.br

COMENTAR

0 Comentário(s)